terça-feira, 15 de setembro de 2015

Santa Luzia














De branco luz e azul mediterrânico, eis a Igreja Matriz de Santa Luzia, a pequena aldeia alentejana que guarda o nome da jovem siciliana, condenada à morte por distribuir a sua fortuna pelos pobres e recusar quebrar o seu voto de castidade, dirigido a Jesus Cristo.

Viviam-se os primeiros tempos do cristianismo, ainda anteriores às primeiras escrituras, marcados por fortes perseguições religiosas e políticas a todos os que se recusavam prestar culto divino ao Imperador Romano. Caio Aurélio Valério Diocleciano assinou a sua morte, depois de Luzia resistir a várias formas de tortura e humilhação. 13 de Dezembro do ano 304.

Venerada pela religião cristã como santa da visão, Luzia é também imortalizada através da literatura, da pintura e do teatro. Dante, na obra «A Divina Comédia», atribui-lhe a função da graça iluminadora.

FC/ Setembro2015

Sem comentários:

Enviar um comentário