sábado, 30 de abril de 2016

O último dia de Fevereiro






















Qualquer sistema de forças,
por hipótese, o Amor,
adivinha-se na invisibilidade
do último dia de Fevereiro.

Um dia em contratempo,
indiferente ao Sol e à Lua,
livre das convenções humanas,
desalinhado.

Infinito sem medida,
capaz de curvar a linha do espaço-tempo,
desafiar a gravidade
ou propor novas geometrias.

Um acaso que escapa à razão,
antepondo a estranheza das partículas, 
o paralelo das contradições
e a importância da borboleta.

Confirma-se o princípio da incerteza,
em Edward Lorenz,
Albert Einstein
e todos os demais.

Sem antítese que o desminta,
eis o 30 de Fevereiro,
um dia bom para amar.  


FC/2016


Sem comentários:

Enviar um comentário